Olá sobrancelhas perfeitas!





Sempre tive falhas em algumas zonas das sobrancelhas, o que levava a que todos os dias as desenhasse para garantir que estavam o mais idênticas possível. E sim, eu sei que as sobrancelhas nunca são 100% iguais, mas as falhas nas minhas tornavam-nas completamente diferentes e, como é óbvio, eu não gostava disso. 

Pesquisei e descobri várias opções, mas sempre tive receio de avançar, visto que todas elas são definitivas ou semi-definitivas. Depois de experimentar as Extensão de Pestanas, falei com a Marina Sá Pinto [Instagram // Facebook], que também faz este tipo de procedimentos e decidi avançar, até porque as sobrancelhas são uma parte muito importante do nosso rosto e eu queria melhorar as minhas. 

Primeiro, foquei-me em entender melhor o processo, para garantir que sabia exactamente o que estava a fazer. Confesso que tinha algum receio da dor, mas com a anestesia local acabei a sentir só alguma impressão ou dor só em alguns pontos específicos. 

Diferença entre tatuagem e micropigmentação

A diferença está no grau de profundidade em que o pigmento é depositado na pele. Na tatuagem e na maquilhagem definitiva, os pigmentos ficam na derme, uma camada mais profunda da pele, onde quase não há renovação celular. Por isso, este tipo de técnica dura para sempre e só precisa de uns retoques anos depois, caso desbote. Tanto a maquilhagem definitiva quanto a tatuagem só saem com laser.

Já a micropigmentação é realizada na camada mais superficial da pele, a epiderme, que é onde há renovação celular. Por isso, ela só dura por volta de um ano, quando o procedimento pode ser realizado novamente. O processo é indicado principalmente para quem tem sobrancelhas falhadas,  ralas ou com cicatrizes. 

O procedimento

Depois de definir o desenho para a sobrancelha, está na hora de começar o procedimento: agulhas bem finas depositam os pigmentos na pele, lentamente, num processo que pode durar de 40 minutos a uma hora e meia. 

É um trabalho cuidadoso, artesanal, onde os fios são desenhados um a um. A anestesia local foi uma ajuda preciosa, sendo que senti praticamente só o desconforto das agulhas a tocar na pele. Parecia a dor de um pequeno arranhão. 

O pós

Depois de tudo feito, é preciso paciência. Na semana seguinte é aconselhada a aplicação de Bacitracina, bem como vaselina, para ajudar a cicatrização. O pigmento vai sair nos 30 dias seguintes, podendo a pele descamar.

Neste momento ainda estou em processo de recuperação, daqui a 30 dias vamos perceber se é preciso dar algum retoque.

Comentários